Artigos


Dueto ou Duelo?

Por Priscila Melo Viana | 10 de Julho de 2018
Dueto ou Duelo?

Como buscar equilíbrio nas discussões do namoro e desfrutar de um relacionamento saudável a luz da bíblia.

Quando estamos na fase da espera, oramos e almejamos viver um relacionamento dos sonhos e ser muito feliz. Não sei você, mas eu sempre achei que o namoro (que tinha aprovação de Deus) não havia espaço para brigas, discussões ou desentendimento. Talvez por nunca ter namorado antes entrei com essa ilusão. Mas, por meio dessa situação eu aprendi muitos princípios essenciais com Deus e tirei uma grande lição.

 

 "Assim como o ferro afia o ferro, o homem afia o seu companheiro". Provérbios 27:17

 

Logo no meu primeiro mês de namoro colocamos em pratica esse versículo. Cada divergência de pensamentos eu mantia até o fim que, o que prevalecia era minha opinião e se já não bastasse, eu o cobrava para mudar, porque eu queria ver a diferença nele de forma instantânea, na mesma hora e dia.

 

Na minha imaturidade, eu dizia que a realidade era bem diferente da expectativa que tinha no meu tempo de espera, e comecei a achar que todos os relacionamentos (seja do cristão ou não) eram iguais. Chegava a questionar a Deus porque essas discussões, que de uma situação tão pequena transformava em algo gigante (sempre por coisa boba e sem relevância) ficávamos chateados com o outro, triste porque ele não foi compreensível, às vezes só de fazer algo já me irritava ou então porque tirava conclusão precipitada. Não entrava na minha cabeça discutir com a pessoa que eu mais amava (depois de Jesus), e isso me fazia me sentir muito mal.

 

Então, nesse tempo Deus se manteve em silencio. Até para Deus eu estava querendo exigir respostas imediatas à minha infantilidade. Foi nesse momento que fui guiada pelo Espírito Santo para fazer jejum e ficar um mês sem me justificar, cobrar e discordar de nada! (Meu Deus, como foi difícil). Você mulher sabe que, para nós ficarmos sem retrucar e apenas consentir com o que estamos vendo, sem dar nossos 'pitacos', é muuito difícil. 

 

Nesse tempo busquei muito a Deus a fim de descobrir a resposta para minha aflição e inquietação. Foi então que Deus me mostrou que ele me presenteou com um relacionamento para viver um dueto, não é um duelo. E ainda me levou para a palavra: 1 Coríntios 13, e ainda cheguei a questionar a Deus, porque essa passagem, já que eu já li inúmeras vezes e entendia tudo o que a palavra queria dizer. Mas o Senhor frisou o versículo 7 que diz: "Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta".


Quando li essa passagem pela milésima e uma vez (risos) meus olhos foram abertos e eu percebi como estava sendo egoísta com meu namorado, hoje esposo. Deus me fez enxergar a mulher mesquinha e pirracenta que estava sendo. No amor nós sofremos, cremos, esperamos e suportamos. E Deus me fez ver que o homem precisa ser respeitado, e se eu o respeitasse ele iria me fazer sentir amada, porque é um ciclo. Quanto mais eu o desrespeitava e 'passava' por cima de sua opinião, mais ele se sentia humilhado pelos meus atrevimentos e reagiria de uma forma rude, que por sua vez eu não iria me sentir amada por ele.

Deus me mostrou também que se não haver diálogo, transparência e uma comunicação saudável entre nós o relacionamento se torna desgastado. Se não houver respeito, amor e cumplicidade desde o namoro, o casamento se torna rotineiro, as brigas se intensificam e com o tempo fica insustentável podendo levar ao divórcio.

E quero te dizer que existe relacionamento feliz. Existem discussões? Sim. Mas quando há respeito, sintonia, amor, compreensão entre o casal o que era para ser uma briga, se torna em uma conversa harmoniosa, com troca de opiniões e aprendem a respeitar e a tolerar o pensamento do outro (esteja certo ou errado). Nessa situação não é um que sai perdendo, mas sim os dois ganhando.

Precisamos orar mais, vigiar e não dá lugar para o diabo.

"Melhor é viver no deserto do que com uma mulher briguenta e amargurada" (Provérbios 21:19).

Com carinho
Pri Melo Viana

Deixe seu comentário


Comentários