Artigos


A difícil e nobre tarefa do Cristão

Por Paulo Silva | 04 de Dezembro de 2017
A difícil e nobre tarefa do Cristão

Foi nos dada uma missão, a de gerar discípulos. Deveria ser mais fácil, mas é uma tarefa árdua. A complexidade nesse processo, dá-se ao dilema que todo ser humano enfrenta, da ambição de controlar tudo ao seu redor, inclusive pessoas. Quando observamos o modelo de discipulado de Jesus, podemos ver que Ele gerou discípulos que pudessem ter autonomia para servirem ao Pai com inteligência, sabedoria e responsabilidade.

Não o vemos consumido pela “síndrome do filho único”, pelo contrário, Ele era deliberativo em seu formato de liderança e fazia questão que os discípulos pudessem desenvolver o pensamento crítico, para isso Ele estava sempre estimulando-os a pensar e a avaliar todas as coisas ao seu redor. Discipulado não é controle é projeção. Não é manipular, mas emancipar, isso é, o verdadeiro discípulo é aquele que se torna autônomo para andar com as próprias pernas, guardando os valores e princípios no qual foi ensinado.

Discípulos gerados em honra não se desviam desse princípio tão importante. Discípulos ouvem o que o mestre fala, mas reproduzem o que veem o mestre fazer. Se queremos ter sucesso nesta missão, precisamos parar de investir tanto esforço para nos projetar sobre as “massas” e focarmos em indivíduos. Jesus abençoou a multidão, mas sabia que a continuidade da Sua tarefa estava naquele “um”. Não se transforma uma nação do alto de palanques, mas a partir dos seus fundamentos. Só coopera com a transformação do mundo, àqueles que cooperam para a transformação verdadeiras de indivíduos. Isso exige tempo, abnegação, esforço e compromisso. A tarefa é árdua, mas é uma nobre tarefa.

Paulo Jonatas Da Silva


Deixe seu comentário


Comentários